MARÍLIA / SP - terça-feira, 25 de setembro de 2018

ASMA E ACUPUNTURA

ASMA ATINGE 20% DOS BRASILEIROS

O Brasil é o 8º país no mundo com pessoas asmáticas. Cerca de 20% dos brasileiros têm ou já tiveram alguma manifestação da doença, sendo que 25% destes têm a forma moderada ou grave, que pode levar à morte se não diagnosticada e tratada adeqüadamente. Com os ventos frios que marcam o outono e chegada do inverno, a situação pode piorar

Os últimos estudos epidemiológicos realizados no País sobre asma, do Datasus, indicam que o problema representou a terceira causa de hospitalização pelo SUS em 2002, provocando 376 mil internações.

O resultado disso é que, ainda que o Brasil esteja alinhado à tecnologia e medicação disponíveis na Europa e Estados Unidos, dispondo de todos os recursos para um diagnóstico preciso e tratamento eficaz, morrem, em média, 6 pacientes diariamente em decorrência da falta de diagnóstico e/ou tratamento adequados. 

DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO

A asma é uma doença pulmonar caracterizada pela inflamação crônica das vias aéreas, que se estreitam e oferecem dificuldade respiratória. De acordo com o médico e coordenador do ambulatório de Acupuntura do Hospital do Servidor Público Estadual (HSPE), Dr. Wilson Tadeu Ferreira, as vias respiratórias do paciente asmático têm uma resposta exagerada quando em contato com determinada substância, denominada alérgeno. “Em sua presença, os brônquios se fecham, num movimento de defesa, reduzindo a passagem de ar que chega aos pulmões. As constantes repetições desta reação, chamada broncoespasmo, provocam inflamação, que faz com que as vias aéreas fiquem ainda mais sensíveis”.

Uma vez inflamadas e, portanto, mais sensíveis, crises de asma podem ocorrer por diversos fatores ambientais, como alterações climáticas, ou quando em contato com poeira, mofo, pólen, cheiros fortes, pêlos de animais, gripes ou resfriados, fumaça, ingestão de alguns alimentos ou medicamentos.

Os principais sintomas da asma são: tosse, chiado no peito e falta de ar, que aparecem de forma cíclica, com alternância de períodos de melhora e piora. 

A asma pode aparecer em qualquer fase da vida, sendo bastante freqüente até os 12 anos. Em compensação, quase 70% destes casos tendem a desaparecer na entrada da adolescência.

Qualquer que seja o caso ou a gravidade da doença, as crises podem ser evitadas e o paciente consegue levar uma vida normal, inclusive praticando atividade física. Para isso, basta que este asmático seja diagnosticado corretamente e siga as orientações médicas.

O diagnóstico da asma é feito com base em sinais e sintomas relatados pelo paciente, em conjunto com constatações do médico durante o exame clínico e em alguns casos, exames complementares, como a espirometria, que quantifica a obstrução de ar e identifica eventuais obstruções.

O tratamento da asma requer disciplina e atenção. Cuidados com o ambiente da casa e do trabalho podem estar entre as orientações do especialista. Seguir corretamente todas os conselhos médicos é fundamental para que o paciente possa voltar a ter uma vida tranqüila.

Um dos principais meios para controle da asma é a correta orientação ao paciente. “O asmático tem de aprender a viver com a asma; saber que ela existe; conhecer o que faz mal, para evitar; administrar corretamente a medicação e identificar o início de uma crise grave e o momento certo de procurar o médico”, disse o Dr. Wilson.

ACUPUNTURA PODE AJUDAR

Modernamente, a Acupuntura médica e a Medicina Tradicional Chinesa têm formas para prevenir as crises de asma e doenças respiratórias pela elevação do poder imunológico do paciente ou aliviar a sintomatologia dos processos podendo ser praticada sem interferir na medicação prescrita. Agulhas são aplicadas em pontos específicos que mandam sinais ao cérebro, capazes de interferir favoravelmente para o alívio das crises e constrição dos brônquios durante manifestações moderadas. Com isso e, sob orientação médica, a medicação poderá ser reduzida e, conforme o caso, suspensa.

Fonte: AMBA NEWS com a consultoria do Dr. Wilson Tadeu Ferreira, médico  acupunturista, diretor da AMBA, docente do IAMEC e Coordenador do Ambulatório de Acupuntura do HSPE.